Com amigos Esporte

O ano que o Brasileirão foi lá em casa

Está chegando um dos momentos mais tradicionais do ano: assistir ao Brasileirão com a galera. Já faz alguns anos que reunimos os amigos para ver os jogos e, há dois atrás a gente descobriu que essa história de ir no bar nunca da certo…

Ninguém estava podendo gastar muito e, no bar, tudo era tão caro! A long neck, por exemplo, custava quase a metade no supermercado. Além disso, ver o jogo na TV era quase impossível: o lugar sempre estava lotado, cheio de gente passando na frente da tela. Acredita que o Felipe perdeu o gol mais lindo do jogo porque um cara resolveu levantar na frente dele bem na hora? Pois é.

Fazia tempo que a gente queria começar a assistir o Brasileirão em casa mas sempre acabava deixando pra depois. Até que, um dia, o André nos convenceu que era hora de mudar. Ele sempre foi o palhaço da turma. Aquele cara que todo mundo adora mas que, às vezes, perde a noção, sabe?

A semi- final daquele ano foi…

… um dia desses. Ele exagerou um pouco na provocação com o time adversário, que estava perdendo e, um cara gigante que estava assistindo o jogo no bar não gostou muito das piadas. Bom, pra resumir a história, o André também não gostou muito do olho roxo que levou de lembrança para a casa. Pronto, Brasileirão no bar tinha chegado ao fim: era um perrengue muito desnecessário. No ano seguinte, a gente assistiria o Brasileirão na casa de alguém. Eu me ofereci e assim fizemos.

A primeira partida foi incrível! Eu tinha até uma sala de TV em casa, a gente se esparramou no sofá e não perdeu nenhum lance. O Felipe que o diga: dessa vez, ele pode ver todo os gols da rodada sem ninguém entrar na frente.

Uma vitória. Outra vitória desse dia, foi a do time do André. Não é que o time dele ganhou de novo? Claro que ele fez piada com os adversários: o André não aprende, o jeito dele é assim. Mas, dessa vez, apesar de o Mauro não ter curtido as piadas, a brincadeira não acabou em briga. Na verdade, os dois arrumaram um jeito bem legal de se resolver: jogando FIFA. Nessa partida, foi o André quem levou a pior. A brincadeira virou tradição e, hoje, uma das coisas que a gente mais gosta do Brasileirão é a desculpa para reunir a galera e jogar FIFA depois.

Campeonato de FIFA virou tradição!

Além da diversão que foi assistir tudo em casa com os amigos, a gente também adorou a economia: não faltou cerveja, pipoca e salgadinhos para todo mundo e, se eu te contar quanto o rolê saiu barato, você não vai acreditar. Mesmo assim, o problema foi que acabei levando prejú…

Este ano, o primeiro jogo da rodada vai ser lá em casa. Contei para um amigo, que me avisou sobre a Partyou. Agora, vai ficar muito mais fácil organizar o evento e receber os pagamentos dos amigos. Eu já convidei todo o pessoal e comentei sobre a plataforma. Disseram que eu estou chique, porque agora posso receber no cartão. Chique e inteligente, respondi. Para mim, tão importante quanto encontrar os amigos e torcer pelo time do coração é não levar prejuízo quando o juiz dá o apito final.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *