Como garantir um caixa saudável durante toda a gestão
Entidades Gestão Financeira

Como garantir um caixa saudável durante toda a gestão?

Garantir um caixa saudável durante toda a gestão é um dos maiores desafios que toda entidade enfrenta, nós sabemos disso! Por isso, para encerrar o mês dos conteúdos financeiros, vamos aprofundar o assunto e dar algumas dicas para uma boa tesouraria! Vem com a gente! 

O que é “garantir um caixa saudável durante toda a gestão”? 

Desde já, compreenda que um caixa saudável é sim um caixa positivo. Mas isso não significa apenas ter um bom saldo na conta. É natural que as entidades passem por problemas financeiros, o grande desafio de uma gestão é garantir organizar-se para manter a grana e conseguir gerar mais do que o se tem para girar novos projetos, investir de outras formas nas próprias atividades da entidade e assim crescer como um todo.

Por isso é essencial o trabalho ativo e constante de uma tesouraria ou departamento financeiro, como você preferir chamar. Se você sente que as coisas não estão funcionando da melhor maneira para conseguir aumentar seus projetos e executar as metas da gestão, pode ser que esse problema esteja na gestão financeira. Por isso, vamos dar algumas dicas preciosas para você implementar agora mesmo na sua entidade! 

Mão na Massa: 7 Dicas para garantir um caixa saudável durante toda a gestão.

1.Organização da Tesouraria

Organização da Tesouraria

Primeiro de tudo, o primeiro passo a ser dado é construir um bom alicerce. Estruture a sua tesouraria. O formato dela é variável, e vai de acordo com as necessidades da sua entidade, ou seja, você pode ter uma pessoa como tesoureiro e um suplente, uma área da tesouraria com um responsável e alguns membros, ou a forma que funcionar melhor para você. O importante aqui é que independente da organização do departamento, quem for responsável por ele saiba exatamente todas as responsabilidades e funções que deverão ser cumpridas.

2. Planejamento Financeiro 

Planejamento Financeiro

Se você já leu outros dos nossos artigos financeiros, já sabe dessa etapa, portanto, dê a devida importância! O planejamento deve ser feito no início da gestão, e com o passar do tempo, vai sendo atualizado. Quanto mais organização, maior será a sua previsibilidade de caixa. Será possível trabalhar com informações mensais e semestrais, o que ajuda diretamente na movimentação da entidade!

3. Fluxo de Caixa e Relatórios

Fluxo de caixa e relatórios

Trabalhe rigidamente com uma planilha de fluxo de caixa e relatórios financeiros. Quando falamos sobre essas ferramentas, é porque elas englobam todas as movimentações da sua entidade. Essa é uma necessidade essencial para obter um caixa saudável durante toda a gestão. Claro, isso depende diretamente da arrecadação, mas por outro lado, é preciso saber gerir o dinheiro de acordo com as possibilidades existentes!

4. Controle de Entradas e Saídas

 Controle de Entradas e Saídas

Complementando o tópico anterior, para conseguir um fluxo de caixa que seja real, é preciso controlar toda a entrada e saída de dinheiro. Isso quer dizer que você deve documentar desde a venda de um adesivo de R$5,00 até o pagamento de um evento de R$5000,00. Nenhum valor é desprezado. E assim você terá um controle fluído de tudo. 

5. Previsão de Entradas e Saídas

Previsão de Entradas e Saídas

Previsão é diferente de controle! Controlar o caixa e seu fluxo é relacionado diretamente ao presente, já a previsão, ao futuro. Essa previsão é um compilado do planejamento de todos os departamentos. Por exemplo, a área de marketing pretende fazer uma nova camiseta no próximo mês. O preço de custo é X, ela será vendida por Y, e estima-se vender 100 unidades da mesma. Com isso, você tem duas previsões para o mês que vem: o valor que será pago ao fornecedor, e o lucro obtido com essas vendas.

Mas poxa, a previsão errou! Vendemos apenas 50 unidades! Calma, está tudo bem! O objetivo de prever as futuras entradas e saídas não é acertar todos os valores como uma megasena, mas sim conseguir prever cenários! 

6. Controle de Estoque

Controle de Estoque

Você pode ter lido essa dica e pensado: “Mas a minha entidade não tem estoque!” Para um caixa saudável durante toda a gestão, aprenda a analisar tudo o que você tem e fazer controle de estoque! O moletom que sobrou da encomenda, o fardo de refrigerante da festa que não foi consumido são estoque! Considere como um produto estocável tudo aquilo que pode ser usado para reduzir custos, ou para arrecadar valor de alguma forma! O moletom poderá ser vendido por preço de custo numa liquidação, o fardo de refrigerante pode ser usado em outro evento ou até mesmo vendido para a festa de outra entidade. 

7. Análise dos Saldos Negativos

Análise dos Saldos Negativos

Se a sua entidade entrou num caixa negativo, é através de todas as ferramentas que citamos acima que você poderá administrar os desafios. Use o fluxo de caixa dos últimos meses para analisar as entradas e saídas registradas. Observe qual a média de custo da sua entidade. Com a previsão de valores futuros, veja se a previsão de arrecadação consegue suprir seu saldo negativo. E com o controle de estoque, veja se novas formas de arrecadação podem surgir.

A importância de motivar toda a gestão para garantir um caixa saudável durante toda a gestão

Até agora estamos fazendo uma análise bem “exatas” de toda a coisa, porque claro, estamos falando de dinheiro e números. Porém, não podemos deixar de lado a motivação da sua entidade como um todo. 

Muito se discute sobre divulgar para todos os membros o caixa da entidade, a sua situação e saúde financeira. Você pode optar por não passar algumas informações no começo da gestão, enquanto ainda está criando a confiança necessária para obter esse tipo de dado, porém, isso não pode durar por muito tempo. 

Em suma, pense como uma pessoa que quer ajudar o máximo que pode. Sugere mil novos projetos, produtos, festas. Porém, para executar tudo isso é preciso ter possibilidade de investimento. No geral, os membros e departamentos só saberão até onde podem ir em cada mês de acordo com a situação do caixa! 

Por isso, organize todas as informações e apresente! Informe como o trabalho de cada departamento está trazendo resultados, ou está deixando a desejar. Com transparência e relatórios financeiros, será possível estimular e incentivar as mudanças necessárias! Além disso, você sabe que pode contar com a Partyou pro que der e vier, né? 

Hoje encerramos nosso mês com conteúdos financeiros, mas se você tem alguma dúvida, deixa um comentário, manda um inbox nas nossas mídias sociais! 

E fique ligado, porque já já vem mais conteúdo por aí! Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *