Eventos Partyou

O que faz um CTO? – Partyou no Festival Path 2018

Nos dias 19 e 20 de maio, aconteceu no bairro de Pinheiros, em São Paulo, mais uma edição do Festival Path. Trata-se de um evento de inovação e criatividade que tem uma agenda de programação bem diversificada e animada: são palestras, feiras, workshops e shows em diversos locais do bairro, que formam a chamada “Cidade Path”.

A Partyou esteve presente no sábado (19), no painel “CTOs: Onde vivem, o que fazem e como encontrar um para chamar de seu”, organizado pela Startup Farm, no rooftop do Instituo Tomie Ohtake. Nosso CTO Leandro Souza esteve ao lado (na realidade, no meio, se você bem reparar na foto) de Alberto Anderick, CTO da Vérios, e de Monna Santos, CTO da Celebrar, falando sobre o ecossistema.

Separamos alguns dos conteúdos que foram compartilhados por eles e complementados pela plateia para contar para vocês. E se quiserem saber mais, saibam sempre que podem vir trocar uma ideia com a gente, aqui na nossa sede 😊

“A vontade de fuçar”

Todos dividiram suas opiniões sobre as características que um ou uma CTO devem ter. Monna acredita ser fundamental estar ligado com o negócio e ter sempre vontade de aprender coisas novas e achar soluções. O CTO acaba se tornando a “parte técnica” da empresa e sempre surgirão situações e imprevistos para lidar. Por isso, a “curiosidade – aquela “vontade de fuçar e a resiliência” também foram ressaltadas por Alberto. Já Leandro, acredita que o que faz a diferença é “a paixão pelo projeto que você faz parte”.

Os bugs do dia a dia

E as dificuldades? Ser a pessoa responsável por colocar em pé as funcionalidades e conseguir alinhar as expectativas de todos foram apontados por eles como as grandes dificuldades que um(a) CTO enfrenta.

Mas isso tudo acontece quando já se tem um CTO. E quando ainda não se tem? Calma lá. Aos que estão desesperados para encontrar um, atente-se antes a essas dicas.

Antes de procurar um(a) CTO…

Imagine alguém chegar pra você dizendo: “eu tenho uma ideia”. Agora imagine alguém dizendo: “Eu tive essa ideia. Já fiz isso e aquilo. Tal coisa não deu certo, encontrei tal caminho”. De fato, parece muito melhor desenvolver em cima disso.

“Quanto antes se validar sem tecnologia melhor para construir com embasamento”, afirmou Alberto, se referindo à busca ansiosa que alguns empreendedores têm por um CTO logo no início.  E Leandro assinou embaixo. “Tem muita ferramenta grátis para validar”.

point taken GIF by Third Rail with OZY

O que faz um(a) CTO?

Muita coisa e isso pode variar de empresa para empresa. Isso vai desde desenvolver o produto, resolver os problemas técnicos (desde o wifi que não funciona até o bug que deu na home page), e até mesmo adquirir uma função mais institucional (principalmente se também for co-founder), de pensar na ideia do projeto e na cultura da empresa.

“Desapega!”

Desapega de fazer bonito. Não vai ter tempo hábil para ser um(a) desenvolvedor(a) perfeccionista. O comercial precisa de velocidade e a ideia pode, muitas vezes, se provar errada ou precisar de mudanças. Por isso, é preciso testar! Sem deixar de lado as regras mínimas de segurança, é claro. E até para isso existem ferramentas muito boas para serem utilizadas sem precisar desenvolver você mesmo logo de cara.

Leandro citou um exemplo de algo que fizemos aqui na Partyou. Precisávamos entregar um sistema de leitura de QR Code o quanto antes para nosso cliente. E usamos o próprio leitor do celular em vez de desenvolver um próprio, já que não dava tempo. E deu certo! Assim validamos a ideia e estamos deixando nosso produto mais parrudo e construindo junto aos nossos parceiros.

Pouca gente não é sinônimo de bagunça

As startups começam com pouca gente. Às vezes é só uma pessoa. Às vezes duas, três. E isso não quer dizer que os processos não são importantes.

“Nós começamos em três pessoas e mesmo organizamos o processo para trabalhar. Porque assim você cria uma cultura de trabalho. Na hora que fomos contratar uma designer, foi mágico”, contou Leandro, destacando a importância de se olhar para a organização do trabalho e para a cultura da empresa. Fica muito mais fácil encontrar alguém com o mesmo fit depois.

A importância do filtro

O(a) CTO é quem olha mais atentamente para a tecnologia. Por isso, é bom estar sempre antenado no que há de novo por aí. Mas tão ou ainda mais importante que estar informado é saber filtrar o que vale para o seu negócio. Não é porque existe uma ferramenta nova que ela é realmente melhor pra você. Ao menos é no que Monna acredita. “Não e porque lançou que você precisa usar. Aliás, algumas tecnologias precisam de um tempo para amadurecer”, complementou.

A plateia complementou a discussão com comentários e perguntas muito boas. Em uma delas, enfatizou-se que existe um gap entre as novas empresas de tecnologias e as universidades.

Bom, nós da Partyou esperamos poder melhorar isso 😊

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *