Entidades Esporte Universitário

Quando a torcida ultrapassa os limites

Com a notícia da vacina cada vez mais perto da nossa faixa etária, nós já começamos a pensar na volta de tudo o que nós mais gostamos da faculdade. O momento de rever nossos amigos e ir para os jogos universitários vai chegar logo. Ahhh, os jogos! 😍😍😍 São tantas lembranças das festas, tendas e é claro dos competitivos jogos de fato. E sabe o que tem de monte nas competições??? Isso mesmo, muitaaa torcida!!!

É dela que vamos falar hoje, aqui no nosso blog. A gente ama torcer, gritar, chorar e se tudo der certo, comemorar a vitória! Afinal, não tem nada melhor do que torcer para nosso time do coração, né?

A torcida

A torcida é complementar ao esforço dos atletas na hora da partida, ela dá forças para o time vencer o jogo, mas por outro lado a torcida pode muitas vezes ser reversa. Ao invés de incentivar seu time, os torcedores acabam optando por desmotivar o time adversário.

E é esse o ponto que queremos abordar hoje, essa desmotivação pode ser feita de diferentes formas. Nenhuma é totalmente legal, mas há algumas que apenas deixam os atletas inseguros e nervosos com a pressão e outras que ofendem os atletas de alguma maneira.

Como estamos em junho, mês do orgulho LGBTQIA+ estávamos conversando entre a equipe sobre esse tema e chegamos num questionamento que sentimos a necessidade de compartilhar com vocês:

Qual é o limite entre torcer e ofender alguém em uma partida?

O esporte está muito presente em toda nossa vida. Desde pequenos nós somos incentivados a participar e torcer nas competições. Contudo, a torcida não pode se transformar em qualquer tipo de preconceito.

Em todos os esportes é comum (mas não deveria ser) existir casos homofóbicos da torcida contra os jogadores ou contra a torcida adversária, e até mesmo da torcida com a própria torcida. 

Utilizar termos como “Viado”, “Mariquinha”, “Sapatão”, “Caminhoneira” e muitos outros a fim de desestabilizar alguém dentro de quadra não faz parte do real espírito esportivo e também fere o psicológico dos envolvidos.

Muitos desses termos são adotados pela comunidade LGBTQIA+. Por isso, é ainda mais errado utilizá-los como se fossem um xingamento para uma pessoa hétera.

Como podemos mudar isso?

Primeiramente, devemos repensar, será que no calor do momento eu já gritei algo que possa ter ferido alguém?? Faça esse exercício de reflexão com seus amigos e amigas. Leve esse tema para sua entidade debater e veja se o estatuto do jogos que você participa se existe algo que puna esses casos. Outro ponto legal, é revisar os hinos das entidades e torcidas organizadas, que muitas vezes tem frases bem preconceituosas espalhadas pelo meio.

Esperamos que nos próximos jogos universitários, essas situações totalmente desagradáveis não existam. E se existirem, sejam punidas de alguma forma pela comissão organizadora.

0 0 votes
Post Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments